Concerto Conferência: Criação, Edição e Divulgação dos Compositores Portugueses

Ontem, dia 8 de Abril 2011, decorreu no Auditório do Centro Cultural de Vila Praia de Âncora, o Concerto / Conferência, intitulado “Criação, Edição e Divulgação dos Compositores Portugueses”. A primeira parte foi constituída por um pequeno debate em que intervieram os conferencistas Manuela Paraíso e Carlos Araújo Alves com a moderação de Eugénia Moura, presidente da Academia de Música Fernandes Fão e a participação do compositor homenageado do 8º Concurso Ibérico de Piano do Alto Minho, Pedro Santos. Nesta mesa redonda, foram abordados diversos tópicos, desde a dificuldade que os jovens compositores têm em ouvirem as suas obras a ser executadas até à problemática de divulgação das obras de compositores portugueses.
A solução passa muitas vezes, tal como afirmou Manuela Paraíso, por serem os próprios compositores a procurarem fazer a sua auto-divulgação e serem perseverantes nas iniciativas para se fazerem ouvir. Não se devem coibir de enviar as suas notas biográficas e dar a conhecer as suas obras aos meios de Comunicação Social. É um exemplo deste tipo de divulgação, o blog da Manuela Paraíso, intitulado “Portuguese Music and Musicians” (http://portuguesemusicandmusicians.blogspot.com/) ou o seu programa de rádio “Na Outra Margem”, na rádio Europa. Carlos Araújo Alves também abordou a importância da descentralização, pois apesar da “crise” actual, o próprio país possui infra-estruturas, como a rede de cine-teatros, por exemplo, onde se podem realizar vários concertos de Música Portuguesa. Tal como ele afirmou, é preciso preservar o Património Musical, tal como se preserva o Património Histórico ou Arqueológico, embora o primeiro seja um património imaterial.

Na segunda parte do Concerto, o público pôde apreciar as obras do compositor Pedro Santos, acompanhadas de comentários feitos pelo próprio, a explicar a origem das mesmas. O primeiro conjunto das peças “Estórias para a Judite”, interpretadas pelo pianista Edgar Cardoso, foram compostas por inspiração nos objectos do quotidiano da filha do compositor. Estas peças foram encomendadas pela AMFF, especificamente para o Concurso de Piano, fazendo parte das peças obrigatórias das classes A, B, C e D. As obras obrigatórias para classe E, também tocadas por Edgar Cardoso, não foram encomendadas para o Concurso pois já existiam e foram inspiradas no Outono.

O seu trabalho criativo explora frequentemente uma relação com outras formas de expressão artística tais como o teatro, a dança e a literatura. Desta forma, também foram apresentadas as obras “Le Corbeau et le Renard”, executadas por Catarina Costa e Silva e Tiago Sá, “Shinning Shiness”, demonstrada em vídeo, peça esta encomendada por um amigo intérprete durante o tempo que passou na Holanda, no Conservatório em Haia e “Acto”, interpretada também por Catarina Silva e pelo professor da AMFF, Paulo Barbosa (clarinete).
A obra “Miniatura”, primeira obra de Pedro Santos, foi executada pelos professores da AMFF, Gaspar Lima (clarinete) e Olga Amaro (piano).
Por fim, como é habitual, teve lugar um Verde d’Honra com todos os convidados e participantes do Concerto / Conferência, no qual se cortou oficialmente o bolo de Abertura do Concurso de Piano.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *